[Resenha] A seleção - Kiera Cass

20 de set de 2013
A seleção - Kiera Cass
Editora: Seguinte
ISBN: 9788565765015
Ano: 2012
Páginas: 368
Classificação: 
Página do livro no Skoob

Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças de dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes.
Resenha:
Na distopia escrita por Kiera Cass, os fatos que levaram a sociedade a se organizar da maneira que nos é apresentada no livro não passam de especulações, o rei talvez queira que todos tenham acesso a uma parcela vaga dos fatos onde você deve escolher se acredita ou não em tudo que ouve. Os Estados Unidos passou a ser domínio da China e o resultado da união de alianças com a Rússia é uma nova nação chamada Illéa. O Ano-Novo passou a depender da lua e a maior parte das datas comemorativas foram reunidas na Festa da Gratidão. Apenas o Natal manteve-se no mesmo dia e é nessa única época que a família de América Singer tem trabalho garantido, a sociedade está dividida em castas e ela faz parte da Cinco, uma das três mais inferiores. Talvez eles não sejam tão miseráveis quanto a Seis mas faz tempo que as coisas não vão bem. A comida é pouca e as necessidades são frustrantes, constantes.

O príncipe de Illéa, Maxon Schreave, está a procura de uma companheira, uma princesa para ter ao seu lado em todos os momentos. Serão escolhidas não tão aleatoriamente assim 35 garotas, uma de cada província, para participar de uma espécie de concurso nacional que é acompanhado pelo país inteiro: A Seleção. As participantes selecionadas serão alojadas no palácio e farão parte da rotina real, onde terão a chance de se adaptar a rotina da realeza, aprender normas de etiqueta e se aproximar do príncipe, tentando assim levar a coroa e claro, seu coração.

America acha ridícula a ideia de se inscrever na seleção e mais absurda ainda a possibilidade de ser uma das escolhidas. Enquanto seu pai já a considerava especial assim, sua mãe sempre quereria mais e mais para sua filha. America não se apaixonaria pelo príncipe, ela amava Aspen. Um garoto da casta Seis na qual ela mantinha um relacionamento proibido a 2 anos. Quando digo proibido é no sentido real da palavra, seus encontros aconteciam sempre após o severo toque de recolher, sem mencionar no casamento entre membros de castas diferentes... Porém ela não pode ser egoísta a ponto de não perceber o quão sua família seria beneficiada, o quanto as condições de vida seriam mudadas, o quanto sua mãe e sua irmã estão empolgadas. Aspen não se perdoaria se sua amada perdesse a chance de mudar de vida, de não ser sempre faminta e preocupada America... Ele não poderia negar aquilo que não proporcionava a ela, mesmo que isso custasse o amor dos dois. America Singer é uma das 35 garotas que participam da Seleção.

Tratando-se de uma competição é esperado que todas as participantes queiram de fato estar ali e ganhar o coração do príncipe, mas fica claro que muitas só querem o poder e prestígio da coroa, a riqueza acima de tudo. America se destaca por não querer nada além de ajudar a família e ter boas refeições no palácio, deixando claro isso ao príncipe, eles começam a criar laços fortes de amizades que tem potência a desenvolver-se em algo mais afetivo que palavras amigas. A relação entre America e Maxon é uma lindeza só, a forma como os acontecimentos fogem do comum e afloram em sentimentos é uma delícia de acompanhar. O ciúme por parte de outras participantes deixa a disputa enérgica, há garotas insuportáveis como Celeste, meigas como Ashley e amigas tal Marlee. A competição será digna de audiência e os ataques de rebeldes ao palácio trará o perigo a seleção, os Nortistas e Sulistas estão a procura de algo, ninguém sabe o quê ao certo, e a vida de todos ali estão em risco. Quando Aspen retorna inesperadamente, America se verá dividida entre amores, burlando regras e mais envolvida do que jamais esperou estar. Quais garotas entrarão para a Elite, a próxima etapa da Seleção?

Me encantei com essa estória desde o primeiro capítulo. A escrita da autora é extremamente leve e agradável, as páginas fluem sem você perceber, devorei o primeiro livro da trilogia em poucas horas. America é cheia de atitude e ganha destaque por ser tão autêntica e franca. Já disse o quanto adoro protagonistas que fogem do comum? Maxon é um verdadeiro cavalheiro e faz a diferença no contexto, ele é inexperiente e cativante ao extremo. Aspen é uma incógnita, passei boa parte do livro odiando-o e mesmo com questões resolvidas ainda não caí de amores por ele. O clima de tensão enquanto as eliminações e o desejo de agradar que paira sobre os quartos e corredores do castelo deixa um clima viciante na leitura, o romance apresentado é dinâmico, e se por vezes caiu no esperado passou despercebido pela escrita tão envolvente. A construção dos personagens secundários foi feita pra agregar mesmo, tem valor no enrendo e tenho vários preferidos. Enquanto as comparações a Jogos Vorazes tenho que admitir, todas as distopias que li tiveram bases semelhantes, aqui não é diferente o que muda é a de fato o plano de fundo, o clima, ritmo e a escrita também difere bastante. A Seleção não é extraordinário mas é eficiente no quesito entretenimento, se tornou favorito e minha torcida já está definida.

14 comentários:

  1. Eu adorei essa trilogia! Muito envolvente, já li os dois primeiros livros, agora mega ansioso pelo desfecho *--*
    Eu não consegui curtir o Maxon, espero que a America fique com o Aspen! u.u KKK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou Team Maxon ahhahaha Vou esperar mais um tico pra ler A Elite :]

      Excluir
  2. Quero ler esta série, olha eu fugindo do meu "jejum" de séries, hein? kkkkkkkkkkk... Mas essa já faz um tempo bom que está na lista de meus desejados.
    Tô só esperando uma boa promoção para colocá-la no meu carrinho.
    Também acho que vou gostar do Maxon,o que falam do Aspen não me agrada. E não curto essa história de comparar distopias, pois na sua essência são bem parecidas, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é uma trilogia, Ari, e vale a pena < SIM, ASPEN É UÓ. VIVA O MAXON, IP IP URRAA

      Excluir
  3. Mais uma distopia que eu PRECISO ler! Não basta ser uma distopia, tem que ter uma competição e ter como plano de fundo a realeza. Acho que não tem como não gostar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A escrita da autora vai te prender <3

      Excluir
  4. Esse é um livro que apesar da história ter suas falhas, a escrita da Kiera é tão cativante que você só consegue largar depois de terminar. Infelizmente eu sou 100% Team Aspen ao contrário de todos os leitores do mundo e por mais ansiosa que eu esteja pro último livro da série estou muito nervosa porque provavelmente vou partir meu coração haha
    Adorei a resenha =]
    Beijos!

    www.centraldaleiturablog.blogspot.com (passa lá pra ver a vergonha que eu to passando na internet, to precisando de apoio hahahaha)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda vou ler A Elite, estou adiando, falta muito pro lançamento do terceiro :x

      Excluir
  5. A capa é linda ,o enredo parece ser ótimo e totalmente diferente.
    Gostei muito da sua resenha.Obrigada pela dica.

    ResponderExcluir
  6. Esta foi a primeira distopia que li… Sim, não li “Jogos Vorazes”, meu santo realmente não bateu com aquele livro. Enfim, eu amei “A Seleção”, achei uma estória bem criativa e empolgante, quanto mais eu lia, mais queria. Em pensar que eu havia deixado de lado desde a primeira vez que ouvi falar deste livro, pensei que fosse uma coisa meio infantil, afinal de contas, o que você pensaria sobre uma estória que envolve um príncipe em busca de sua princesa? Porém eu já havia lido “O Diário da Princesa” e foi por este motivo que agora dei uma chance, mas não foi apenas isto algumas amigas também me falado muito bem deste livro. Acabei não resistindo e cai nas garras da seleção.

    ResponderExcluir
  7. Olá Felipe!! Parabéns pela resenha!! Estou louca para poder ler este livro, mas infelizmente vou ter esperar um pouco para comprar, pois pretendo comprar os dois de uma vez, mas por enquanto estou dando um tempo nas compras de livros. Mas esta serie é uma das minhas mais desejadas.

    ResponderExcluir
  8. Sou encantada com essa história, adorei sua resenha.

    ResponderExcluir
  9. Sinceramente estou apaixonada pelo livro só pela sinopses que li, e outras resenhas. Gostei da sua resenha, e mostra que a protagonista é bem divertida, não suporto ler livros em que os principais são sem graça e não tem atitude. Estou relutando pra ler porque estou com muitas coleções pendentes. E sou completamente apaixonada por livros que fazem parte de uma saga, trilogia, coleção, série, etc.

    ResponderExcluir
  10. Essa serie é uma das que mais quero ler esse ano, antes mesmo de ser lançado o terceiro livro. Espero me apaixonar pela estória, assim como todo mundo.

    ResponderExcluir

Não esqueça de dar sua opinião nesse espaço.Seu comentário é muito importante.
O QUE ACHOU DESSE POST?

TERROR

Jantar Secreto - Raphael Montes
Um grupo de jovens deixa uma pequena cidade no Paraná para viver no Rio de Janeiro. Eles alugam um apartamento em Copacabana e fazem o possível para pagar a faculdade e manter vivos seus sonhos de...
Jogos Macabros - R. L. Stine
Conhecido mundialmente por seus livros de terror e suspense, com centenas de milhões de exemplares vendidos, R. L. Stine desponta no cenário da ficção juvenil pela genialidade na criação de enredos sinistros...
Psicose - Robert Bloch
O clássico de Robert Bloch, foi publicado originalmente em 1959, livremente inspirado no caso do assassino de Wisconsin, Ed Gein. O livro teve dois lançamentos no Brasil, em 1959 e 1964...
Nosferatu - Joe Hill
Victoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa...
O Vale dos Mortos - Rodrigo De Oliveira
Com passagens por Brasília, Estados Unidos, China e França, O Vale dos Mortos baseia-se na profecia de que um planeta intruso ao sistema solar, ao raspar por nossa...

FANTASIA/ POLICIAL

LEIA MAIS

ESPECIAIS ♥

Juntando os Pedaços - Jennifer Niven
Jack tem prosopagnosia, uma doença que o impede de reconhecer o rosto das pessoas. Quando ele olha para alguém, vê os olhos, o nariz, a boca… mas não consegue juntar...
O Livro de Memórias - Lara Avery
Sammie sempre teve um plano: se formar no ensino médio como a melhor aluna da classe e sair da cidade pequena onde mora o mais rápido possível.E nada vai ficar em seu caminho — nem mesmo uma rara doença...
Simon vs. a agenda Homo Sapiens - Becky Albertalli
Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da...
Quando finalmente voltará a ser como nunca foi - Joachim Meyerhoff
Isso é normal? Crescer entre centenas de pessoas com deficiência física e mental, como o filho mais novo do diretor de um hospital...
Eu Te Darei o Sol - Jandy Nelson
Noah e Jude competem pela afeição dos pais, pela atenção do garoto que acabou de se mudar para o bairro e por uma vaga na melhor escola de arte da Califórnia...

POLICIAL

LEIA MAIS